Levy Fidelix e Luciana Genro discutem sobre gays e Malafaia se posiciona

Edinaldo Nascimento 1 de outubro de 2014 0
Levy Fidelix e Luciana Genro discutem sobre gays e Malafaia se posiciona

A Rede Record realizou seu debate entre os presidenciáveis 2014, na sede de sua emissora em São Paulo. Participaram do debate os candidatos Aécio Neves (PSDB), Marina Silva (PSB), Luciana Genro (PSOL), Dilma Rousseff (PT), Levy Fidelix (PRTB), Eduardo Jorge (PV) e Pastor Everaldo (PSC).

O ponto alto do debate, que gerou indignação entre os internautas, foi quando a candidata do PSOL, Luciana Genro, perguntou ao candidato do PRTB, Levy Fidelix, porque as pessoas que defendem a família se recusam a aceitar as famílias compostas por pessoas do mesmo sexo. O candidato do aerotrem, como Levy ficou conhecido, respondeu que com 62 anos de idade nunca viu “dois iguais reproduzirem”, e que “aparelho excretor não reproduz”.

O candidato ainda disse que a maioria não pode ficar escorada nessa minoria, com medo de perder o apoio eleitoral dessa categoria: “Prefiro não ter esses votos [dos gays]“, disse ele, que prosseguiu afirmando que não irá “estimular a união homoafetiva”.

Outro ponto polêmico, foi quando na tréplica dessa pergunta, Fidelix disse que se estimulássemos as uniões gays, daqui a pouco o Brasil passaria de 200 para 100 milhões de habitantes. E que os homossexuais precisam de tratamento psicológico, mas, segundo o candidato, “bem longe de nós”. [Vídeo ao final do post].

Após as declarações, milhares de comentários começaram a serem manifestos contra as posições de Levy Fidelix. A hashtag #LevyVoceENojento está em primeiro lugar nos assuntos mais comentados do Brasil no twitter. E o pastor Silas Malafaia, como de praxe, não perdeu a oportunidade para emitir a sua opinião no microblog.

O pastor afirmou que tudo o que Levy disse no debate sobre os gays era “verdade absoluta”, e que “verdade virou homofobia”. Após as declarações, várias mensagens repudiavam a posição defendida pelo pastor, que terminou a noite dizendo que desejava vida longa aos seus inimigos, para que eles pudessem acompanhar as suas vitórias. A frase foi rapidamente associada ao hit “Beijinho no ombro” de Valesca Popozuda, que diz “desejo a todas inimigas vida longa pra que elas vejam a cada dia mais nossa vitória”.

Confira:

Tadeu Ribeiro / VG

 

Deixe seu Comentário »

You must be logged in to post a comment.